// Já pensou em fotografar Pets?

Animais de estimação são presenças bastante notáveis nos lares. Diversos estudos e pesquisas já mostraram que eles estão ganhando um papel diferente na relação com as famílias, principalmente levando em conta o antropomorfismo que eles estão sofrendo.

Essa tendência revela um aumento de consumo relacionado ao bem-estar, conforto e saúde dos animais, é o chamado consumo por afetividade. Assim como filhos humanos, gatos, cachorros e outros estão recebendo atenção e cuidado especiais dos seus donos. E assim, novidades no mercado Pet vão surgindo.

Essa é a motivação para a fotografia Pet. Os proprietários apaixonados pelos seus bichinhos fazem questão de registrar os momentos da vida deles, com qualidade e profissionalismo.

E pode ser um ramo bastante vantajoso para o fotógrafo que pensa em seguir por esse caminho. Porém, não é nada fácil fotografar um cachorro, por exemplo.

Muitas vezes, os animais não colaboram. Não param quietos, latem, fazem xixi, fazem coco no estúdio, destroem alguma coisa…Enfim, é um trabalho muito gostoso, mas exige paciência e técnica.

Por isso, separamos algumas dicas para facilitar a sua vida na hora de fazer um ensaio de PET profissional que reflita a relação do animal com a sua família e garanta a satisfação do cliente.

Lá vai!

 

Conheça a personalidade do animal

É interessante saber como é esse animal para poder preparar o ensaio de forma mais tranquila e também para registrar uma imagem que realmente represente esse pet.

Por exemplo, se o animal é dorminhoco ou preguiçoso, seria legal planejar um ensaio em um lugar calmo, onde ele possa deitar e agir naturalmente. Isso vai deixá-lo menos estressado e facilitará o seu trabalho para fotografar, além de capturar momentos que verdadeiramente refletem a personalidade desse animal.

Caso seja mais hiperativo, por que não levá-lo para um parque? Mais uma vez, pensando no conforto do animal, nesse lugar ele terá espaço para fazer o que gosta, seja correr, pular…

 

Pense no contexto geral

Vários fatores devem ser considerados para escolher a locação do ensaio. Para começar, escolha um local onde o pet se sinta confortável e seguro. Se possível, a locação deve ser um lugar familiar para o animal, assim, além do bem-estar, a gente garante que ele não ficará curioso e inquieto, querendo conhecer e cheirar todos os cantos do novo ambiente.

O cenário também é fator importante. Não queremos que o fundo discorde com o restante da foto. É recomendável fundos mais discretos, como uma porção de arbusto verde e uniforme ou até mesmo um quarto branco bem iluminado com um simples carpete.

 

Chegue perto

Cães e gatos e outros animais de estimação têm os mais variados tamanhos e formatos, mas em geral, sabemos que eles são menores que nós. Com isso, corre-se o risco de eles ficarem perdidos em cenário. Assim, o fotógrafo deve chegar perto do seu modelo e enquadrá-lo da melhor forma. Isso não é fácil, já que, muitas vezes, a sua proximidade faça o animal se mexer também, mas é um esforço que deve ser feito.

O uso do zoom também pode ser interessante. O equipamento ajuda a isolar o animal em termos de profundidade de campo, deixando o fundo desfocado e atraindo a atenção para o que é importante: o pet.

 

Fique da altura deles

Além de chegar perto, você deve ficar no mesmo nível que o animal e olhá-lo de frente. Fotos de cima para baixo dão uma perspectiva muito humana para a fotografia e perde aquele sentimento de proximidade que o dono nutre pelo pet.

Ao ficar no mesmo nível que o animal, você tem o vislumbre do que acontece ao seu redor com o mesmo ângulo de visão que o animal. Isso resulta em registros mais íntimos e reais.

 

Use diferentes enquadramentos

Assim como humanos, os pets têm ângulos diferentes para a sua aparência. Registrá-los em diferentes posições e de diversas direções traz novas perspectivas para as suas imagens. É legal também tirar fotos de detalhes como olhos, orelhas, patas, bigode. Dessa forma, quem olha para as fotos consegue ter um prisma de quem é esse animal.

 

Iluminação

Iluminação é um aspecto indispensável para a fotografia, e isso não seria diferente para a fotografia de Pet. No entanto, esse ponto merece atenção especial nesse tipo de ensaio.

Luz natural é a melhor opção aqui, e por isso, fotografias em externa são as que costumam funcionar melhor. O uso do flash pode distrair ou ainda pior, assustar o animal. Sem contar que pode criar aqueles olhos vermelhos, como nos humanos.

Mas para toda regra há uma exceção. Caso o animal tenha pelos muito escuros, o flash ajuda. Nesse caso, talvez seja necessário, também, superexpor delicadamente a imagem.

Por outro lado, se o animal for branco, o fotógrafo corre o risco de superexpor a imagem. Aí tente encontrar um lugar protegido da luz solar direta, e, definitivamente, não use o flash.

 

Inclua pessoas

É simples: incluir o dono e a família do animal garante fotos incríveis que serão lindas lembranças por muitos anos. Esse tipo de fotografia transmite a emoção e o carinho da relação do pet com a sua família.

Congele a cena

Alguns animais podem ser um desafio para o fotógrafo por serem ativos e inquietos. Por isso, usar uma velocidade alta do obturador ajuda a capturar as ações dos bichinhos.

A maioria das câmeras digitais permitem que você trabalho com o modo totalmente manual, sendo possível ajustar a velocidade do obturador e a abertura. Alternativamente, podemos escolher o modo que prioriza o obturador e a câmera automaticamente decide a abertura ideal. Deixar esses ajustes já preparados é fundamental para estar sempre pronto e se adiantar às ações do animal. Você também pode deixar a câmera no modo contínuo e tirar uma sequência de fotos consecutivas. Esse ajuste pode levar a uma série de fotos bastante interessantes.

 

Entre na brincadeira

Pets podem ser criaturas muito brincalhonas, e, ao invés, de tentar contê-los, você se aproveitar das brincadeiras e fazer delas a característica principal dos seus registros, mostrando a personalidade ativa e jocosa do animal. Inclua os brinquedos favoritos dele e faça fotos engraçadas e divertidas. Será uma experiência deliciosa para você e para ele.

Seja paciente

Fazer ensaios com animais requer muita paciência. Muitas vezes, eles estarão distraídos com outras coisas e mais interessados em outras coisas.

Mas não importa o quão agitado ou distraído o pet esteja, eventualmente, ele irá relaxar e você conseguirá fazer a sua foto. Fotografia de Pet é um trabalho muito gostoso e divertido, mas exige prática e técnica.

 

 

Por isso, o IIF desenvolveu o wokshop “Fotografia de Pets”, no qual o participante aprende os truques para fotografar animais de estimação através de uma verdadeira vivência fotográfica durante um final de semana inteiro com um dos profissionais mais reconhecidos na área, Johnny Duarte.

A próxima turma acontece em Junho, as inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas!

Confira aqui para maiores detalhes do curso!

Mais informações: [email protected] ou (11) 3021-3335

Cadastre-se e receba as principais novidades do ramo da fotografia.

Posts Relacionados

[2020] VAGA: ASSISTENTE DE SALA DE AULA E FOTOGRAFIA NO IIF

[2020] VAGA: ASSISTENTE DE SALA DE AULA E FOTOGRAFIA NO IIF

O IIF (São Paulo) está com uma vaga aberta para Assistente de Sala de Aula e...

[VAGA] SECRETÁRIO(A) ESCOLAR NO IIF

[VAGA] SECRETÁRIO(A) ESCOLAR NO IIF

O(a) Secretário(a) será responsável por proporcionar o bom...

Qual é o melhor software de edição de imagens: Lightroom ou Photoshop?

Qual é o melhor software de edição de imagens: Lightroom ou Photoshop?

Como todo fotógrafo sabe (ou deveria saber), a pós-produção é parte...

[2019] VAGA: ASSISTENTE DE SALA DE AULA E FOTOGRAFIA NO IIF

[2019] VAGA: ASSISTENTE DE SALA DE AULA E FOTOGRAFIA NO IIF

O IIF (São Paulo) está com uma vaga aberta para Assistente de Sala de Aula e...

Parceiros