Daniela Margotto explica maneiras de se renovar no mercado newborn

Depois de três dias do Newborn and Family Photo Conference, é evidente o crescimento do mercado de fotografia de newborn e família. Há, cada vez mais, profissionais inseridos nesse ramo, o que torna mais difícil a elaboração de trabalhos criativos e diferentes dos que já existem.

Assim, o congresso também foi importante para mostrar a necessidade de se renovar como fotógrafo. As palestras foram inspiradoras em diversos sentidos e muitos congressistas deixaram o Teatro Gamaro, onde aconteceu o evento, motivados.

A fotógrafa Daniela Margotto, então, resolveu dar mais sugestões de como fugir do comum na fotografia newborn. Ela, que realizou o primeiro ensaio no estilo newborn em agosto de 2010, analisava imagens de fotógrafas como fonte de inspiração. “Na época montei uma pasta e coloquei nela fotos das fotógrafas Kelley Ryden e Tracy Rarver. Eu me encantava com aquelas fotos, mas não sabia como fazê-las, portanto, olhar esse material era importante para mim”, conta.

Um dos projetos fotográficos de Daniela Margotto/ Foto: Daniela Margotto

Ao aprimorar suas técnicas, Daniela se viu com sede por renovação e novas inspirações. Assim como foi mencionado em algumas palestras durante o congresso, a fotógrafa acredita que o reconhecimento de outros interesses possam ajudar nessa finalidade.

“Sei que vocês já devem ter ouvido: busquem inspirações em filmes, em revistas diversas, em músicas, em livros, no dia a dia de vocês…  E isso é sim uma coisa que funciona muito para mim”, explica. No entanto, ela revela outra maneira mais específica de se renovar. “Mas hoje quero falar pra vocês algo além disso, que foi e é muito importante para nos renovarmos: os projetos autorais.”

Daniela justifica, então, a importância da realização dos próprios projetos. “São neles que conseguimos criar ‘livre de cobranças'”, diz. “Eles são uma outra forma de conseguirmos nos renovar, de nos motivar, de buscarmos novos caminhos! Nele você tem mais liberdade de experimentar!”.

Como exemplo de projeto autoral, ela escolheu realizar o “Meu Amigo e Eu”, que era sobre crianças com bichos, e acabou lhe trazendo muita motivação. “Para renovar e alimentar minha cabeça e minha alma, para que eu voltasse a amar a fotografia, que por uma série de motivos estava começando a entrar no ‘modo automático'”, explica.

“Meu amigo e eu” é um ensaio voltado a crianças e animais/ Foto: Daniela Margotto

“Então… fica minha dica pra você: se você começar a entrar no “modo automático”, comece um projeto autoral, fará bem pra sua alma e pra sua fotografia!  Procure dentro de você quais suas vontades, quais seus interesses, o que te move… e mande ver!”, finaliza.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Parceiros

Desenvolvido por