Três cursos para você entender mais sobre o universo de Fotografia Feminina

Por: Lara de Oliveira Santos

O movimento feminista vem ganhando força e, com isso, pode-se notar uma mudança no comportamento feminino. A mídia e as redes sociais colocam em evidência, por exemplo, atitudes empoderadoras de mulheres. Entre elas, publicações de imagens que retratam autoestima e confiança.

A procura por fotógrafos de ensaios femininos e sensuais, portanto, tem aumentado cada vez mais. As mulheres, mais do que nunca, se sentem confortáveis em seus próprios corpos e não têm – nem devem – sentir vergonha nenhuma em mostrá-los.

No mês de setembro, o Instituto Internacional de Fotografia (IIF) vai oferecer três cursos diferentes para os interessados por Fotografia Feminina. Apesar de serem voltados à mesma área, eles têm sua própria especificação e se complementam.

Susi Godoy falará sobre fotografia boudoir e em externa, Débora Fernandes e Letícia Clares explicarão sobre direção de modelos e Adalto Jr abordará a construção de ensaios sensuais femininos.

Imagem de ensaio sensual/ Foto: Susi Godoy

O workshop de Susi pode ser definido por “mergulho no universo feminino, nas inspirações, e como inserir isso de forma funcional no seu processo criativo”. 

“Ajudar o fotógrafo a ter segurança para conversar com a modelo/cliente, seja no pré-ensaio, durante ou após a sessão de fotos”, é o foco da dupla do workshop Direção de Modelo para Fotografia Artística.

Por fim, Adalto conta que em seu curso ele ensinará “desde a base, o conceito, como a pessoa vai pensar para poder fazer o ensaio, passando pelo processo criativo, utilização de luz e direção.”

Com os seus cursos, os quatro profissionais têm em comum seus principais objetivos. Eles afirmam que os alunos podem esperar bate-papo, troca de experiências, solução de dúvidas e práticas dos conhecimentos vistos em aula.

Ensaio sensual/ Foto: Adalto Jr

A importância de cursos como esses é inquestionável, pois a demanda pela fotografia feminina está em ascensão. “Esse mercado está crescendo muito, com vários estilos bem marcados sendo desenvolvidos para atender todo tipo de mulher e suas características”, explica Susi. “Cada vez mais as mulheres estão buscando empoderamento, essa ideia de se expor de uma forma bonita, se aceitando cada vez mais”, concorda Adalto.

Por outro lado, Débora e Letícia mostram um outro ponto de vista sobre esse mercado. Ambas, por trabalharem com modelagem, evidenciam a desvalorização das modelos quando estas não cobram para serem fotografadas.

“Isso desvaloriza o trabalho da modelo profissional e, consequentemente, do fotógrafo profissional: se o fotógrafo constrói um portfólio que não representa, de fato, seu potencial, como quer que alguém pague por seu trabalho?”, explicam. “Se não investe em modelos profissionais para isso, como espera que as clientes pretendam pagar por aquilo que ele já faz ‘de graça’ por aí?”, completam.

Apesar do tema em comum, pode-se ver a diferença entre os profissionais que ministrarão as aulas. Para mais informações sobre cada um, leia as matérias abaixo:

Se você já se interessou e quer se inscrever, acesse o site do IIF ou ligue para (11) 3021-3335.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 2 =

 

Parceiros

Desenvolvido por