// Ato Fotográfico – Conceitos e Atuação

O objetivo deste artigo é apresentar as considerações gerais que, não desrespeitando diretamente a fotografia, são sem dúvida o alicerce do processo criativo que a atividade fotográfica necessita.

OBJETIVO
Podemos querer nos expressar através da fotografia por prazer pessoal ou por escolha profissional, mas, independentemente da motivação, a abordagem no processo criativo e prático para realizar uma imagem fotográfica é a mesma.  Em primeiro lugar, temos que ter um objetivo da alcançar: uma ideia, um conceito ou uma emoção a transmitir. O trabalho fotográfico só pode começar depois que o objetivo está claro e corretamente definido.

COMUNICAÇÃO VISUAL
Composição, iluminação e informação são os elementos que caracterizam a comunicação visual.

A condição necessária para a definição de uma linguagem é a existência de um código e de um repertório estabelecidos. Isso não existe em relação às imagens.
Conclui-se que, semanticamente, é uma aberração falar de comunicação visual.

Mas, na prática, nós, fotógrafos, nos comunicamos diariamente através deles.

O código e o repertório que não são codificados formalmente existem de fato.

Entre todos os sentidos, a visão é o mais eficaz sistema de exploração do ambiente externo e, conseqüentemente, de defesa. Por isso, no decorrer do desenvolvimento da espécie humana ela assumiu importância crescente, até se tornar o sentido predominante. Com a evolução humana, a visão se desenvolveu, se aprimorou e ao mesmo tempo se carregou de elementos genéticos, dinâmicas internas (teoria da Gestalt) e fatores sociais e culturais.

Tudo isso faz parte da existência diária de cada um de nós. Mas, no caso do fotógrafo, o conhecimento racional da bagagem de mecanismos que o sentido da visão carrega se transforma em um REPERTÓRIO informal, mas concreto.

Com o estudo e o conhecimento empírico desse repertório e do código que o estrutura, foram percebidas as regras de composição e iluminação que produzem sensações específicas, e que devemos considerar nas nossas imagens fotográficas.

Por fim, falando de conteúdo ou informação da comunicação, percebeu-se que, quando há uma figura humana na imagem fotográfica, ela se torna a informação predominante para o observador. Por isso, ao fotografar pessoas, não podemos esquecer a linguagem silenciosa do corpo, falada através de posturas e atitudes. Através da direção de modelo, podemos controlar este último elemento, que completa a nossa comunicação.

SENTIDO FOTOGRÁFICO
Sentido fotográfico é uma qualidade que todos nós fotógrafos devemos cultivar e que diz respeito à relação entre o que o SER HUMANO VÊ E O QUE A FOTOGRAFIA PODE PRODUZIR.

A visão humana enxerga muito além daquilo que a técnica fotográfica pode captar. O fotógrafo tem que se adaptar a essa realidade para poder imortalizar o que ele está percebendo.

Uma tabela pode explicar visivelmente esta diferença.

tabela

A coluna esquerda evidencia as características da visão humana e a direita, as que a técnica fotográfica apresenta.

Os primeiros cinco itens são relativos à percepção do espaço.
Através do uso da composição fotográfica devemos representar as características que tornam tão interessante a percepção do espaço para o ser humano.

O enfoque principal será em induzir a sensação de profundidade que falta na representação plana da imagem fotográfica. Alem disso, a escolha da objetiva produz o efeito de foco seletivo ou panfocus da visão humana. A perspectiva é controlada através do ponto de vista e este é regulado pelo tipo de objetiva usada. A visão periférica, a sensação do ambiente criada na visão humana, produzida com o continuo movimento dos olhos, é induzida através do enquadramento fotográfico e em particular trabalhando o ‘fora de campo’. O ponto de corte da imagem é encarregado de inserir informação sobre o ambiente sem poluir ou pulverizar a imagem. Por exemplo, mostrar parte de uma casa em uma imagem fotográfica de um sujeito em um fundo de gramado pode informar que a foto foi tirada no jardim desta casa; cortar parte da cabeça ou fazer um plano americano de um modelo não significa que a pessoa retratada esteja sem testa ou sem pernas. A figura humana será completada psicologicamente, mas ganharemos na síntese da imagem e daremos enfoque a detalhes que poderiam não aparecer em campos mais abertos.

A sexta, sétima e oitava linhas da tabela contrapõem a capacidade de percepção da luz do nosso olho com aquela da técnica fotográfica.
Filmes e iluminação são as ferramentas que permitem recriar nas imagens fotográficas a luz que ilumina o mundo ou criar uma nova luz para comunicar a nossa mensagem.

Devemos pensar em qual filme usar, como trabalhar o contraste, como conter as variações de iluminação, gerenciar a latitude de exposição e lidar com as diferenças entre as dominantes de cor presentes na luz e as que o olho vê. Na prática, isso significa: optar entre cromo ou negativo, filme colorido ou preto e branco, day light ou tungstênio; escolher filtros; controlar os contrastes; moldar a iluminação da cena em externa e compô-la em estúdio.

A última linha se relaciona à percepção do movimento.
O escorrer da vida vira um momento congelado na imagem fotográfica. Sem entrar no mérito filosófico do ‘instante fotográfico’, vamos analisar tecnicamente a representação do movimento. A fotografia pode congelar até uma ação muito rápida, a imagem fica nítida e instantânea. Um carro de fórmula 1, por exemplo, passando a 300 km/h pela linha de chegada pode ser imortalizado com tanto detalhe que se pode perceber a postura do piloto.

Por outro lado, podemos optar por não bloquear o movimento. Neste caso, que chamaremos de borrado, o sujeito perde a definição do contorno e aparece como se estivesse repetido na imagem, que fica menos nítida. Esta técnica cria uma sensação de movimento, de vago e de indefinido.

CONCLUSÃO
O sentido fotográfico permite transpor para a imagem fotográfica todos os elementos evidenciados na comunicação visual. A imagem fotográfica assim criada alcança o seu objetivo, ou seja, transmitir o conteúdo que o fotografo quer.

-Atualizado em 02/06/2017

Cadastre-se e receba as principais novidades do ramo da fotografia.

Posts Relacionados

Danilo Russo lança guia completo sobre Iluminação na Fotografia em palestra ao vivo

Danilo Russo lança guia completo sobre Iluminação na Fotografia em palestra ao vivo

O domínio da iluminação na fotografia é algo que não acontece do dia para...

[VAGA] ASSISTENTE FREELA NO IIF (SALA DE AULA E FOTOGRAFIA)

[VAGA] ASSISTENTE FREELA NO IIF (SALA DE AULA E FOTOGRAFIA)

O IIF (São Paulo) está com vagas abertas para Assistente Freela de Sala de...

Como fotografar arquitetura e interiores

Como fotografar arquitetura e interiores

O principal para uma boa fotografia de arquitetura e interiores é analisar...

Fotógrafo brasileiro é vencedor do Pulitzer, maior premiação de Jornalismo do mundo

Fotógrafo brasileiro é vencedor do Pulitzer, maior premiação de Jornalismo do mundo

O fotógrafo brasiliense Ueslei Marcelino foi um dos vencedores do prêmio...

Parceiros