// A foto do eclipse e do escalador

O eclipse solar total que aconteceu essa semana gerou um bombardeio de fotos que, ao mínimo, tentaram registrar esse momento fantástico. Diferentes níveis de conhecimento técnico e qualidade artística apareceram pelas redes. Mas as melhores fotos foram aquelas que combinaram duas coisas fundamentais: planejamento meticuloso e um pouco de sorte.

E esse foi o caso da foto abaixo:

 

Ela foi feita por um pequeno grupo: os fotógrafos Andrew Studer (@andrew.studer) e Ted Hesser (@tedhesser) e os escaladores Tommy Smith e Martina Tibell. Eles planejaram e executaram uma série de imagens incríveis no Parque Estadual Smith Rock no Oregon, Estados Unidos.

Andrew foi contratao pela marca de roupas esportivas Columbia e Ted, pela Goal Zero para cobrir o eclipse, e eles acabaram coloborando a criar algumas das fotos mais icônicas do evento.

Alguns dias antes do eclipse, Hesser diz que os dois passaram cerca de quatro dias escalando diferentes trilhas no parque para encontrar a melhor localização para observar o eclipse.

Eles escolheram o famoso Monkey Face, que é considerado parte de algumas das trilhas mais difíceis do local.

“Houve vários fotógrafos tentando tirar fotos parecidas”, disse Hesser. “Mas ficou aparente que ninguém estava tão próximo do topo”.  O famoso fotógrafo Chris Burkhard fez uma foto parecida de um slackliners, mas a sua posição não era a ideal.

Studer diz que eles usaram o aplicativo PhotoPills para ter uma ideia da posição do sol. Mas Hesser destaca que o app é limitado. “Aplicativos para celular não são suficientemente precisos para isso. Eu acho que tivemos um pouco de sorte”.

A ascensão prática, no dia anterior ao eclipse, levou quase 7 horas para ser completada por causa da enorme quantidade de escaladores que estavam por lá. No dia do eclipse, o time acordou às 3:30am, apenas para descobrir que o parque abria às 5:30am. E aí, Smith e Tibell levaram apenas duas horas para escalar até o Monkey Face.

Testemunhar o evento foi sensacional embora tenha durado apenas cerca de um minuto e meio. “Foi surreal, ainda mais levando em conta todos os fatores que poderiam ter atrapalhado a execução da foto”, disse Studer. “Havia alguns focos de incêndio e um monte de escaladores no dia. Então não sabíamos se íamos conseguir”.

Obviamente, muita gente achou que a imagem era falsa, mas um vídeo feito na hora por Shain Blum serviu de prova. E logo, a foto viralizou pelas redes.

Ted Hesser usou uma Nikon D800 com lentes AF-S 80-400mm f/4.5-5.6G ED VR

Andrew Studer usou uma Canon EOS-1DX Mark II e lentes 150-600mm f/5-6.3 DG OS HSM

Via: dpreview

Cadastre-se e receba as principais novidades do ramo da fotografia.

Posts Relacionados

Inscrições abertas para Prêmio Newborn Brasil 2019

Inscrições abertas para Prêmio Newborn Brasil 2019

O Prêmio Newborn Brasil está com inscrições abertas para a sua terceira...

Sete motivos para participar do Photo Meeting

Sete motivos para participar do Photo Meeting

O início de um novo ano traz a oportunidade de começar novas aventuras e dar...

Carla Durante leva fotografia subaquática brasileira para o WPPI 2019, em Las Vegas

Carla Durante leva fotografia subaquática brasileira para o WPPI 2019, em Las Vegas

Carla Durante, um dos nomes mais reconhecidos da fotografia subaquática do...

Investigação fotográfica sobre série de assassinatos vira fotolivro com campanha de crowdfunding

Investigação fotográfica sobre série de assassinatos vira fotolivro com campanha de crowdfunding

Os limites entre o real e a ficção são o convite para uma imersão na trama...

Parceiros