5 componentes fundamentais para fotografar pessoas em externa

O ambiente externo é muito rico e oferece diversas possibilidades para o fotógrafo, porém, traz também diversos desafios e dificuldades.
O que eu mais vejo são fotos quase perfeitas, mas que pecam em um ou outro detalhe, afirma Danilo Russo.

Russo é fotógrafo de pessoas, especialista em iluminação e diretor do Instituto Internacional de Fotografia (IIF) e compartilhou conosco os cincos aspectos mais básicos para a fotografia em externa e os seus detalhes que merecem atenção redobrada durante os ensaios.

1ª A locação


Ao fazer ensaios em externa, é preciso ter em mente que o lugar onde o ensaio vai acontecer é um componente indispensável daquela fotografia. “Às vezes, a pessoa, a pose e a roupa não combinam com aquele ambiente. Se eu estou fazendo um retrato, eu tenho que combinar o ambiente com a personalidade, com o estilo da pessoa. Fotografia de retrato tem que trazer a sua atitude”, explica Danilo.

A escolha da locação vai depender daquilo que se deseja retratar na fotografia e deve ser pensada com o foco na pessoa que será fotografada. A pessoa deve se sentir confortável e segura naquele lugar.

 

2º A pose

Esse é outro aspecto que define o estilo e a personalidade daquela fotografia. “Eu vejo algumas pessoas que não ficam espontâneas, à vontade. Ou a pose não tem a ver com aquela roupa ou com o ambiente”, conta Danilo.

O fotógrafo deve trazer naturalidade e espontaneidade para a pessoa fotografada.

Para o diretor, “é óbvio que cada pessoa tem o seu repertório, e que há poses mais fáceis e que há coisas que nós gostamos de fazer mais, mas isso deve combinar com a situação”. Muitas vezes, as poses menos complicadas não se encaixam para aquele lugar, ou simplesmente, ficam muito vulgar com o figurino escolhido.

3º O figurino

Para Danilo, esse aspecto fecha o tripé fundamental para a fotografia de pessoas: o complexo de ambiente-pose-roupa. Esse conjunto todo é responsável por refletir a personalidade e o estilo da pessoa fotografada. É o que é chamado de retrato ambientado.

“O fato de levar a pessoa para um ambiente tem que contar alguma coisa sobre essa pessoa”, simplifica o fotógrafo.

A roupa, assim como o local e a pose, deve ser confortável para a pessoa e deve mostrar o estilo dela, sem forçar as aparências.

Danilo conta que já viu vários ensaios bem conduzidos mas que mostram uma certa discrepância por falta de atenção a esse detalhe: “Não dá para usar roupas formais demais em locais informais, e vice-versa”.

Esses três componentes iniciais estão relacionados à personalidade da pessoa fotografada e ao próprio conceito de retrato que é trazer o estilo da pessoa à fotografia.

Além deles, há outros dois elementos também muito importantes que estão ligados à técnica do fotógrafo, mas também são responsáveis por transmitir e comunicar alguma característica do (a) modelo. São eles composição e iluminação.

4º Composição

“Quando eu escolho uma composição, um plano, um enquadramento, ou quando escolho se fotografo de baixo pra cima ou de cima pra baixo, o corte que eu vou dar vai transmitir algumas informações. E a composição deve combinar com a pose e com a roupa”, detalha o fotógrafo.
A composição é a responsável por colocar isso na fotografia e retirar aquilo. É com ela, que a gente escolhe o que iremos mostrar nas imagens. Assim, ele deve estar em harmonia com os elementos anteriores para, junto a eles, contar a história completa da pessoa fotografada.

5º Iluminação

Após escolher a roupa, a pose, o local e a composição da fotografia, é a hora de analisar a iluminação.
É possível fotografar em qualquer tipo de luz, e, mais uma vez, a iluminação também é responsável por revelar muita informação, ressaltando detalhes e sinais.
Dessa forma, na fotografia de pessoas, a leitura da pessoa é essencial. Devemos prezar pelo conforto dela, e garantir suas estética e aparência.
“Uma dica que eu dou é usar luz suave e baixo contraste”, sugere Danilo.

Conseguir isso em externa pode parecer complicado, mas Danilo ensina: “A forma mais fácil é trabalhar, por exemplo, em uma sombra, ou no contra-luz. Ou trabalhar nas primeiras horas do dia ou no final da tarde”.

Essas são as dicas mais simples que ajudam o fotógrafo a resolver a dificuldade em compor a sequência de uma sessão fotográfica em externas. Fazendo com que os aspectos e as técnicas se comuniquem de forma visualmente harmoniosa.

 

 

-Por Vivian Kuppermann Marco Antonio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 78 = 84

 

Parceiros

Desenvolvido por